Subestações: 4 fatos que você precisa saber

subestações e linhas de transmissão ao ar livre

Você sabe o que é uma subestação? Além disso, sabe qual a função dela? Ou até quais os tipos de subestações existentes? Caso a resposta seja negativa, pode ficar tranquilo, por que aqui nesse post você achará as respostas para todas essas perguntas!

Vamos aos fatos sobre Subestações

Primeiro fato

O primeiro deles, e que quase ninguém sabe, é que você está cercado pelas subestações. Não sabia?! Pois é… Você está! É exatamente isso que você leu. Cada uma está estabelecida de uma forma, mas em todo lugar que há energia, há subestação. Isso acontece por que a energia é transmitida em uma tensão altíssima ,por volta dos 230.000 Volts, e nós a utilizamos em uma tensão de 127 ou 220 Volts em nossas casas. O motivo disso está no nosso outro texto sobre subestações.

Segundo fato

Agora que você já sabe que a energia é transmitida em uma tensão altíssima, pode vir a pergunta: “Como é que a energia muda de tensão? É então que o nosso segundo fato é revelado: a subestação que é a responsável por essa transformação. É nela que encontramos o equipamento elétrico denominado de Transformador, responsável por receber a energia na tensão extremamente elevada, de transmissão, e “transformar” a energia para um nível baixo de tensão comumente utilizado por nós.

Terceiro fato

Agora que já sabemos para que ela serve, vamos ao terceira fato: os principais tipos de subestação. Estabelecidas de três formas principais, quanto à instalação, são elas:

Subestações abrigadas

Como o próprio nome já diz, são subestações as quais possuem uma edificação em alvenaria especificamente para elas. Elas são facilmente encontradas em prédios grandes, condomínios (de casas ou prédios) ou até em locais comerciais que possuem uma demanda alta de energia.

Subestações isoladas a gás (GIS)

Esse tipo de subestação opera em alta tensão e são utilizadas quando o espaço disponível é reduzido. Além disso, um outro fator característico dessa subestação é que os equipamentos elétricos que compõe esse tipo de subestação são dispostos em invólucros metálicos robustos e, para isolar o equipamento elétrico dessa capa metálica, é utilizado o gás SF6 (hexafluoreto de enxofre).

Subestações externas

São as que estão a céu aberto, expostas ao desgaste dos intempéries atmosféricos, entre eles: ventos, chuvas e raios solares. É por isso que elas necessitam de manutenções mais frequentes. Junto com as subestações abrigadas, elas são as mais comuns.

Transformador de potência
Transformador de uma Subestação externa. Quando a potência desses transformadores é muito alta, eles podem chegar a ser maiores que carros!
Subestações aéreas
Subestação aérea, comumente vista pelos centros urbanos.

Quarto fato

E então, depois de exemplificar com a foto, o nosso quarto fato é revelado informando que a instalação vista na foto é sim uma subestação. Podemos ver o transformador, no formato cilíndrico e na cor cinza, cumprindo o seu papel de transformar a tensão alta, de transmissão, para a baixa tensão que utilizamos residencialmente. Estas subestações são estabelecidas dessa forma, por que poupam espaço e não necessitam de nenhum cuidado especial. Por isso elas podem ser encontradas em todo lugar.

Então, depois desse último fato, você está por dentro de alguns fatos que cercam a subestação. Além disso, Caso queira saber algo mais, há um link para o site da Chesf, onde eles dão características mais técnicas sobre os equipamentos elétricos utilizados nos sistemas de transmissão deles. Neste site você pode encontrar os níveis de tensões que essas transmissões de energia acontecem.

Por que subestações são tão importantes?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *