Problemas com a conta de luz? A microgeração fotovoltaica é sua forma de economizar!

Autores: Enrique Cavalcante, Evone Santana, Kauan Sacramento e Pedro Esquivel

 

Todo mês, sentimos no bolso o valor alto da conta de luz e não é surpresa para o brasileiro ser surpreendido constantemente com o reajuste das taxas cobradas em contas de energia, provenientes, em grande parte, das graves crises hídricas que vêm nos afetando ao longo dos últimos anos. Dessa forma, por apresentar uma matriz energética favorável, o Brasil tende a se tornar exponencial em geração de energia sustentável.

Nesse cenário, os projetos de microgeração fotovoltaica são um exemplo clássico, já que possuem um potencial abundante no cenário brasileiro.

A microgeração é caracterizada por uma central de energia elétrica que possui algumas peculiaridades.

A potência instalada é menor ou igual a 100KW e utiliza apenas fontes de energia renovável. A energia solar fotovoltaica é um modelo deste projeto, o qual segue a regulamentação 482/12 da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Tal regulamentação foi fundada originalmente em 2012 e representou um grande avanço para o país, já que viabiliza a permuta entre energia excedente para créditos de energia. Esses créditos poderão ser usados no futuro, implicando em um acordo entre cliente e concessionária de energia, onde o excedente gerado pelo cliente transforma-se em créditos abatidos na conta da luz ao fim do mês.

Para incentivar o desenvolvimento deste projeto, a nova regulamentação autoriza a instalação de geração distribuída em condomínios ou a geração compartilhada, através da qual várias pessoas podem se unir e instalar seu próprio centro de geração.

Apesar do desenvolvimento constante desse modelo energético, o seu potencial ainda é pouco explorado no Brasil. A energia solar gerada a partir de células fotovoltaicas é a menos consumida dentre as formas renováveis, representando apenas 0,01% (Fonte: EBC agência Brasil). A baixa utilização no Brasil ganha mais evidência quando pondera as condições favoráveis ao desenvolvimento da fonte no país, já que, de acordo com EPE (Empresa de Pesquisa Energética), o Brasil possui altos níveis de radiação solar e grandes reservas de silício, as quais são indispensáveis na construção das placas solares.

O potencial brasileiro para a geração de energia solar é muito abundante, mas ainda pouco explorado em inúmeras vertentes no Brasil. O incentivo à geração de energia solar é escasso por parte do governo, mas vem sendo ampliado através de iniciativas privadas e do barateamento dos materiais e processos utilizados. Com esses avanços, trazer a energia solar para a sua realidade tornou-se muito mais simples e viável. Para entender um pouco melhor sobre o funcionamento da microgeração fotovoltaica residencial, veja o infográfico abaixo:

Hoje, os investimentos em projetos voltados à geração de energia solar são comuns na sociedade, que busca economia nas contas de luz e se conscientiza gradualmente sobre a importância de adotar meios ambientalmente sustentáveis de produção de energia. Para você ter uma ideia melhor sobre as vantagens da microgeração fotovoltaica, fizemos uma simulação com uma média mensal de gasto de energia em torno de 360,6kWh.

A partir dessa simulação, estima-se que o retorno do investimento venha em menos de oito anos, sendo que a economia com contas de luz após esse período deve ultrapassar os R$ 2600,00 anualmente. É necessário frisar que esses dados podem variar de acordo com o gasto mensal do cliente, a eficiência do painel fotovoltaico e o índice de radiação solar da localidade na qual o mesmo será instalado.

Mas e você? Se interessou pelas inúmeras vantagens da geração fotovoltaica? Entre em contato com a EletroJr e faça uma simulação que atenda às necessidades do seu projeto!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *