Uma Jornada com O Monge e O Executivo – Parte 1

Quando se trata de traçar uma jornada dentro da liderança empresarial, estudar grandes títulos do ramo se torna um pré-requisito para que se desenvolva algumas das – famosas – dez competências de um bom empreendedor de David McClelland, psicólogo formado na Universidade de Harvard. Um dos títulos mais lembrados é “O Monge e o Executivo: Uma história sobre a essência da liderança” de James C. Hunter, sendo este quase que um marco na construção de qualquer indivíduo que busca se inserir no cenário descrito em supra, e hoje vamos falar um pouco dos pontos mais importantes que o livro destaca.

Tudo começa a partir da história de um empresário que passa por maus bocados dentro de sua empresa e família devido a diversas falhar em seu papel como líder em cada um dos nichos e viaja para um mosteiro para uma jornada de autoconhecimento e (re)construção de seu comportamento de líder. Durante as aulas diversas lições são passadas para os participantes de modo a moldá-los para uma liderança eficaz, lições essas que buscamos sempre aplicar na EletroJr e que estaremos trazendo em listas pontos importantes destacados no livro, reforçando sempre o convite a uma leitura mais aprofundada dessa obra!

Então vamos à lista de hoje que é AS 9 QUALIDADES DE UM BOM LÍDER:

  1.        Honestidade: Um líder deve sempre seguir um caminho de retidão e transparência com seus liderados. Você não precisa exibir aos colegas tal qualidade, mas ao realizar seu trabalho pautado nela seu reconhecimento será instantâneo;
  2.        Bom exemplo: Simples, pensem nas pessoas que mais admiramos. Geralmente nossos pais, principais exemplos de vida que temos e padrão mínimo de boas atitudes que nos guiaram a chegar em objetivos primordiais na construção de nosso caráter. Um líder deve construir uma relação semelhante para que seja um padrão mínimo de um bom trabalho;
  3.        Compromisso: O mínimo que um líder deve fazer operacionalmente é cumprir com sua palavra e arcar com as responsabilidades que assume. Se passar por dificuldades para arcar, sempre utilize da relação honesta e transparente para trazer o conhecimento e a vulnerabilidade para que as pessoas também possam te ajudar, mas lembre-se sempre do antigo ditado: não ponha seu chapéu onde sua mão não alcança;
  4.        Bom ouvinte: Quem nunca se sentiu desconfortável com aquele chefe que não te deixa terminar uma frase, não é mesmo? Além de grande falta de respeito, é importante que se tenha atenção com o que as pessoas têm a te dizer. Se te procuraram, não foi à toa;
  5.        Confiabilidade: Liderar é gerar influência sobre outros para que, de boa vontade, atinjam objetivos para o bem comum e se não há confiança, não há influência (ao menos não uma positiva). As pessoas precisam saber que podem confiar nos seus direcionamentos, ajudas, conselhos, relações;
  6.        Encorajador: Empreender é assumir riscos e abraçar oportunidades constantemente e, por vezes, essas oportunidades chegaram primeiro aos nossos liderados que precisarão estar confiantes o suficiente para assumi-los. Portanto, tente sempre encorajar as pessoas a quebrar seus paradigmas (e os ensine a sempre fazer uma boa análise de riscos, afinal não é assumir o que vier pela frente);
  7.       Respeitoso: Uma qualidade básica para qualquer tipo de relacionamento, principalmente nas relações empresariais em que situações de assédio moral são recorrentes e desnecessárias. Sempre respeite os limites de seus liderados e lembre-se que eles devem estar minimamente alinhados com sua empresa para que não haja divergências que possam comprometer qualquer um dos atores;
  8.       Positivo: Ninguém gosta de trabalhar com um líder que não enxergue, minimamente, o esforço que foi movido para execução de uma demanda, ainda que esta não esteja nos moldes ideais. Construída uma relação honesta, não haverá necessidade de negativismos para regularizar qualquer estrutura empresarial, seja ela um processo, o clima, o desempenho do time ou relacionamentos;
  9.       Próximo: Marque presença, seja próximo de seus liderados e do que se passa na sua empresa. Você não precisa forçar relações com as pessoas, mas deve sempre tê-las por perto ao menos em ambiente empresarial. Um alerta: estar próximo não quer dizer ser controlador ou estar em posição de fiscalizador 100% do tempo, mas sim de estabelecer relação de vulnerabilidade com o outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *